Arquivo | abril 2012

Mestre, que eu tenha vista!

      Um certo dia, estava a observar um garoto, cego, andando com muita facilidade em meio a caminhos com obstáculos e transpondo- os majestosamente, muito melhor do que muitos com boa visão. Fiquei admirada.  Essa cena, a qual presenciei, me levou a refletir sobre estar cego. Logo, lembro-me de uma passagem bíblica, muito conhecida, que encontra-se em Marcos 10:46 ao 52, o cego de Jericó: Depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.”

      Mas fui um pouco mais além em meus pensamentos e comecei a refletir não apenas sobre a cegueira física, mas também sobre a cegueira espiritual. Isto é muito sério. O número de cegos espirituais, aumentam de uma forma tremenda nos últimos tempos, penso o que tem levado as pessoas a isso? Uma falsa sensação de fazer parte do Reino de Deus, mas na verdade estão indo totalmente para um outro caminho e, este, certamente o final dele não será a glória eterna. Tenho observado que a RELIGIOSIDADE tem penetrado de maneira grandiosa entre os Cristãos. Já não há mais o coração ardendo dentro do peito, pulsando de alegria em servir a Deus, mas estão mendigando a sua fé, como aquele cego. Estão se tornando pobres de espírito e quando menos esperarem estarão indo à total falência espiritual.

Talvez você esteja pensando: “O que é que eu tenho a ver com ser pobre de espírito e com este cego?”

Talvez mais do que você pensa. Acontece que, segundo a Bíblia, todos nós somos ou já fomos cegos. Esta cegueira é provocada pelo inimigo da nossa alma, Satanás. Vejamos: “Mas se o nosso evangelho está encoberto, para os que estão perecendo é que esta encoberto. O deus desta era CEGOU o entendimento dos descrentes, para que NÃO VEJAM A LUZ do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (2 Co. 4:3-4) 

A diferença deste tipo de cegueira espiritual para a cegueira física é que esta é facilmente admitida. Um cego não diz que não é cego, mas muitos que estão cegos espiritualmente jamais admitem estar cegos. Assim não são pobres de espírito e, conseqüentemente não são bem aventurados, não são felizes. Então podemos ver que todos nós temos tudo em comum com o cego de Jericó, mas nem todos tem nada em comum com o pobre de espírito. Nos achamos bons demais para precisar recorrer unicamente ao sacrifício de Jesus. Afinal, não sou tão ruim assim. Então, não vamos até ao Senhor Jesus para que Ele tire esta venda infernal que Satanás colocou em nossa mente. Muitos continuam cegos por puro e simples orgulho. UNS CONFIAM NA SUA BONDADE PRÓPRIA, OUTROS NA SUA IGREJA, OUTROS NA TRADIÇÃO EVANGÉLICA HERDADA DOS PAIS e assim por diante. Continuam totalmente cegos e conseqüentemente perdidos. Isto porque nunca clamaram: “Senhor Jesus tem misericórdia de mim, sou cego e preciso da sua luz.” Ironicamente e não mais que uma bela verdade, há muito cego fisicamente, enxergando muito melhor do que um cristão com sua perfeita visão. Pois não há vista melhor do que a espiritual, ter visão do reino, do que o Senhor quer de nós e para nós, isso sim é o que verdadeiramente nos conduzirá para a vitória, o segredo de ser um servo e uma serva de Deus vitorioso ou vitoriosa, está em permitir que o Senhor limpe a nossa visão e nos conduza em obediência à Ele. Não falo para os novos convertidos, falo pra quem está há anos na igreja, até mesmo quem nasceu em berço evangélico. É, sim, eu sei, é duro admitir isso para nós mesmos, me incluo nesta.

Mas neste dia, vamos clamar, pedir ao Senhor para nos dar visão de Águia, nos curar, limpar a nossa vista de toda impureza maligna, e mesmo de olhos fechados, confiando totalmente no Senhor, ter a perfeita visão do nosso caminhar diante de Deus; que ele seja reto, verdadeiramente reto e não apenas uma impressão, mas uma realidade em nossas vidas.

Querida(o), se você chegou a conclusão de que está cego e precisa desesperadamente que Jesus lhe dê visão espiritual, se você está cansada(o) de andar tropeçando na vida, se você já não agüenta mais o seu atual estado espiritual, eu convido você a clamar de todo o coração: “SENHOR JESUS EU ESTOU CEGO E NEM SABIA, ACHAVA QUE ERA UM DOS TEUS MAS VI QUE ESTAVA CONFIANDO EM OUTRAS COISAS E NÃO EM TI SOMENTE, Ó SENHOR RECONHEÇO QUE SOU UM PECADOR E PRECISO DO TEU PERDÃO. TIRA A VENDA QUE NÃO ME DEIXA VER A TUA GLÓRIA E ME DÁ DA TUA LUZ, POIS PRECISO DESESPERADAMENTE DA SUA SALVAÇÃO”. AMÉM!

Fiquem na paz,

…:::Ariane Mirabelli:::…

A Glória de Amanhã

Imagem

“Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor…” (Fp. 3:8)

Mas, se formos pacientes e submissos, é quase certo que somos maior bênção para o mundo em nosso tempo de sofrimento e dor, do que nos dias em que pensávamos estar fazendo o máximo do nosso trabalho. Estamos ardendo, agora, e brilhando, porque estamos ardendo. A glória de amanhã tem suas raízes no sofrimento de hoje. Muitos querem a glória sem a cruz, o brilho sem a queima; porém, antes da coroação vem a crucificação.

” Achavam-se ali, sentadas em frente a sepultura, Maria Madalena e a outra Maria…” (Mt. 27:61)

Onde parece estar a nossa morte, está nosso Salvador. Onde termina a esperança, aí está o mais promissor começo dos frutos. Onde a treva é mais densa, aí está para raiar a fulgurante luz que não conhece ocaso. Quando a experiência toda está consumada, nós descobrimos que o jardim não é desfigurado pela presença do sepulcro. Nossas alegrias se tornam melhores se há tristezas no meio delas. E as nossas tristezas são iluminadas pelas alegrias que Deus plantou à sua volta. As flores podem não ser a de que mais gostamos, mas são flores do coração – amor, esperança, fé, alegria, paz – estas são as flores plantadas em cada sepultura cavada no coração do cristão.

…:::Ariane Mirabelli:::…

Queremos saber! Até que ponto na amizade, entre homem e mulher, qual o limite que difere de uma paquera?